4 dicas para ensinar sobre segurança para seus filhos

Casa & Família DESTAQUES POSTS

Para que as crianças consigam lidar com os perigos do dia a dia sem serem atingidas por eles, é necessário prepará-las. Nesse sentido, você pode proporcionar segurança para seus filhos, ao apostar no diálogo e em outras medidas que transmitam ensinamentos capazes de afastá-los dos riscos.

O adulto é responsável pela proteção dos menores e ele pode exercer essa função da maneira mais agradável possível. Sugerimos investir na linguagem simples, nas brincadeiras e na abordagem lúdica ao transmitir ensinamentos.

Mesmo com pouca idade, as crianças têm potencial para aprender alguns cuidados, os quais podem mantê-las longe de acidentes e demais perigos. A partir dessa ideia, separamos quatro dicas que vão ajudar você a ensinar tudo sobre o assunto para os pequenos e ainda adotar outras medidas para deixar a sua casa bem mais protegida. Acompanhe!

PRATIQUE A SEGURANÇA NO TRÂNSITO
Apesar de as sugestões aqui parecerem um pouco óbvias, é importante lembrar que a criança está aprendendo a viver e descobrindo as ações necessárias para afastá-la do perigo. Nessa fase de descoberta, a atitude que mais ensina é o exemplo que os pais dão para os filhos.

Nesse sentido, ao sair com o pequeno, mostre o que é certo e o que é errado ao longo do caminho. Posteriormente, pergunte o que ele acha em alguma situação — como o que fazer quando o sinal de pedestres está vermelho — e corrija se necessário. Durante a experiência, dê asas à sua imaginação. Comprovadamente, as brincadeiras e as lições lúdicas são mais eficazes para o aprendizado infantil.

Ao atravessar a rua, faça isso, exclusivamente, na faixa de pedestres. Não pegue o seu filho no colo nesse momento, já que ele precisa descobrir, por conta própria, o local mais seguro para cruzar as vias de circulação. Lembre-o de sempre olhar para os dois lados e conferir o semáforo.

Dentro do carro, não mande a criança colocar o cinto de segurança ou sentar na cadeirinha e pronto. Converse com ela, explicando porque essas medidas são importantes. Mantenha o diálogo e, amorosamente, chame a atenção se alguma medida for ignorada. Com o tempo, a criança poderá até, se você andar fora da linha, corrigi-lo.

ALERTE SOBRE A INTERAÇÃO COM ESTRANHOS NA RUA
Desde cedo, os pequenos precisam entender a importância de tomar cuidados com estranhos. Para isso, uma boa conversa é fundamental, a qual esclareça os motivos pelos quais a precaução é necessária. Novamente ressaltamos o valor do diálogo em vez da imposição de regras — quando algo é compreendido é mais facilmente aceito e praticado.

Explique para os seus filhos que, apesar de todas as pessoas merecerem ser tratadas com respeito e educação, existem indivíduos com más intenções, que podem levá-los para longe de casa e machucá-los de alguma maneira. Mostre que as aparências podem enganar.

Recomendamos que você aborde, de maneira detalhada, diversos tópicos sobre o assunto, como: não falar com estranhos na rua, sobretudo oferecer informações pessoais, não entrar em casa se perceber que tem alguém seguindo ou vigiando, não abrir a porta se estiver sozinho, não aceitar presentes e, até mesmo, de maneira nenhuma entrar em carro de pessoas desconhecidas.

Fale sobre todos os riscos, ensinando a criança que ela também é responsável pela própria segurança. A melhor maneira de protegê-lo é deixar o pequeno ciente que existe o perigo, mas com as estratégias corretas ele poderá ficar bem longe. Portanto, crie modelos de comportamento seguros em cada situação.

A partir dos cinco anos, vale a pena, de forma muito branda e delicada, alertar também sobre as partes do corpo que não devem ser tocadas e que uma abordagem imprópria de algum adulto deve ser relatada imediatamente.

PRESTE ATENÇÃO NOS ACIDENTES DOMÉSTICOS
Você sabia que os acidentes domésticos são a principal causa de morte para crianças de até 14 anos? Entre eles, destacam-se os casos de queimaduras, quedas de altura, afogamentos, choques elétricos, envenenamento e asfixia.

Para tirar a sua família dessas tristes estatísticas, é necessário tomar alguns cuidados especiais, especialmente com os pequenos de até cinco anos, os quais exigem supervisão contínua. Assim como nos outros casos, uma boa conversa pode alertar sobre os perigos diários que existem em uma casa.

Apele para o lúdico e para as brincadeiras de forma a reforçar as ideias. Contudo, quanto menor for o pequeno, somente os alertas verbais não resolvem, sendo primordial que a sua casa receba algumas mudanças para proteger aqueles que você mais ama.

Redes nas escadas e janelas, por exemplo, eliminam o risco de queda nesses locais. Remédios, produtos de limpeza devem estar fora do alcance de seus filhos, em lugares altos e, preferencialmente, trancados. As tomadas e as quinas pontiagudas precisam estar protegidas. Além disso, os brinquedos muito pequenos — que podem ser engolidos — devem ser evitados.

Não se esqueça de isolar as plantas, já que existe a tendência de as crianças menores ingerirem tudo o que encontram pela frente. Além disso, jamais deixe o seu filho sozinho na piscina ou na praia, uma vez que uma distração de cinco minutos pode ser fatal. Nossa recomendação é que você não ingira bebidas alcoólicas enquanto cuida dos pequenos nesses locais e, caso tenha piscina em casa, cerque o local.

Ferros de passar roupa, fogões e os demais eletrodomésticos também devem ser afastados das crianças. Somente a vigilância constante e a conscientização podem trazer segurança para o seu lar.

TOME CUIDADO COM A INTERNET
Devido a grande proporção que a tecnologia tomou em nossas vidas , as crianças estão usando a internet cada vez mais cedo. A consequência disso é que, inevitavelmente, em algum momento elas podem navegar sem supervisão.

Portanto, proporcione segurança para os seus filhos incentivando-os a utilizar sites próprios para a idade deles. Nesse momento, aproveite para dar exemplos e mostrar quais são os riscos online e as consequências que um simples bate-papo pode oferecer. Nunca subestime a capacidade de entendimento dos pequenos.

Procure monitorar o acesso e construir uma relação de confiança e amizade com as crianças. Transmita apoio, confiança e esteja sempre disposto a ouvir o que elas têm a dizer.

Não é tão complicado criar um ambiente seguro dentro de casa, o qual ofereça segurança para seus filhos. Comece a aplicar as nossas dicas agora mesmo e perceba os resultados das ações. É primordial falar a língua das crianças e buscar sempre a aproximação, afinal, a relação de vocês é o que existe de mais importante no mundo.

Para que os seus amigos e familiares também consigam ensinar as crianças a adotarem medidas de segurança, compartilhe este post em suas redes sociais!